Nomes que fizeram a nossa história.

Já são quase dez anos de shows.

É um marco. Por isso, a 9ª edição do Festival Blues de Londrina será especial. Antecipa, com atrações imperdíveis, a grande festa de 2020.

Poucas produções alcançam essa longevidade. Raras sobrevivem sem dinheiro público, mantendo-se com 100% com patrocínio de empresas privadas que reconhecem a importância do marketing cultural.

Basta conferir a história do Festival Blues de Londrina para constatar: é uma exceção capaz de fortalecer a cada ano.

A primeira edição, de 2011, trouxe vários nomes de peso. Nuno Mindelis, André Christovam, Flavio Guimarães e Adriano Grineberg fizeram shows memoráveis.

O Bar Valentino firmou-se como a casa do evento, que passou a conquistar cada vez mais público. Desde então, só veio gente boa.

Entre as atrações internacionais, o Festival recebeu Jimmy Burns, Willie Walker, Earl Thomas, Deitra Farr, Guy King, Donny Nichilo, Kenny Brown, Jay Malano, Whitney Shay, Anikka Chambers, Jes Condado, Amber Foxx, Aki Kumar, Alma Thomas, Omar Coleman, Tia Carroll e o saudoso J.J. Jackson.

Mas as atrações nacionais também marcaram: Flávio Guimarães, Ari Borger, Solon Fishbone, Igor Prado, Álvaro Assmar, Eric Assmar, Netto Rockfeller, Tony Gordon, Rosa Marya, Victor Biglione, Luciano Leães, Kynnie Williams, Jefferson Gonçalves, The Blues Beatles, Crackerjack, Fernando Noronha, Marcos Ottaviano, Allice Tirolla, Arthur Menezes, Taryn Szpilman, Kiko Jozzolino, Lancaster, Bia Marchese, Fred Sunwalk, Irmandade do Blues, Bernardo Manita, Trítono Blues, Mister Jack, Três Tigres Trio e vários outros, além dos anfitriões do Acústico Blues Trio.

A diversidade é uma das características da programação.

Em 2018, por exemplo, houve espaço para o guitar hero Kenny Brown, que fez questão de voltar a Londrina. Diretamente de São Paulo, os Blues Beatles mostraram como os ingleses do Fab Four beberam na fonte do Mississipi. Do Tennessee, Earl Thomas mostrou toda sua técnica vocal sem perder o romantismo.

O ano passado também marcou o retorno aos palcos de uma das bandas mais antigas do cenário brasileiro: a Mister Jack, capitaneada pelo gaitista curitibano Bene Chireia. Natural de Nova York, Alma Thomas fez um emocionante tributo a Etta James, enquanto Netto Rockfeller transitou pela fronteira com o rock, aliado ao bom humor.

A partir de 8 de agosto de 2019, Londrina volta a ser a Capital do Blues.

Entre os nomes confirmados para o 9º Festival estão Blues Etílicos, Luciano Leães, Fernando Noronha, Fred Sunwalk, Deitra Farr, Bobbi Rae e Jennifer Rocha.

Nossa história é feita de muitas histórias. Todas elas contagiadas pela emoção.

Venha celebrar a vida. Venha para o Festival Blues de Londrina.

Locais

  • Blues no Lago
  •  
  • Catuaí Shopping Londrina
  •  
  • Bar Valentino
  •  

Artistas

  • Igor Prado Band
  • Três Tigres Trio
  • Jefferson Gonçalves
  • Rosa Marya Colin
  • Acústico Blues Trio
  • Adriano Grineberg
  • Alvaro Assmar
  • Allice Tirolla
  • André Christovam
  • Ari Borger
  • Amber Foxx
  • Artur Menezes
  • Bemol Blues Band
  • Bernardo Manita
  • Bia Marchese
  • Big Chico
  • Blues Beatles
  • BULLET BLUE
  • Charlie Thompson (Cracker Jack)
  • Claudio Infante
  • Cluster Sisters
  • DONNY NICHILO
  • Deitra Farr
  • DERICO SCIOTTI
  • Edu Gomes
  • Eric Assmar
  • Fernando Noronha
  • FLAVIO GUIMARAES
  • Flavio Naves
  • FRED SUNWALK
  • Whitney Shay
  • GUY KING
  • Annika Chambers
  • Aki Kumar
  • Kynnie Williams
  • Tony Gordon
  • Victor Biglione
  • Humberto Zigler
  • Irmandade do Blues
  • J.J Jackson e Gisele Almeida
  • Jai Malano
  • Jes Condado
  • Jimmy Burns
  • John Doe Blues
  • KENNY BROWN
  • Elieser Botelho Jr. Elieser Botelho Jr
  • Kiko Jozzolino
  • Lancaster
  • LUCIANO LEAES
  • MAESTRO FILIPE BARTHEM
  • Marcos Ottaviano
  • Milk´n blues
  • Mister Jack
  • Murilo Barbosa
  • Nuno Mindelis
  • Rodrigo Mantovani
  • Sérgio Duarte
  • Solon Fishbone
  • Taryn
  • Tiffany Harp
  • Tritono Blues
  • Leon Duarte
  • Vasco Vaé
  • Vinicius Zanin

Fotos: Rei Santos (2011, 2014 e 2017), André Trigueiro (2015 e 2016).